Chegadas e Partidas

Ainda sinto o tremor nos braços ao tentar sustentar qualquer objeto. Meus músculos ainda não conseguiram descansar o suficiente para parar de doer. Meus ombros ainda não relaxaram e, assim, me mantenho tenso e dolorido. Definitivamente, fazer uma mudança acaba com meu corpo. Não fui eu que mudei de apartamento, só ajudei a encaixotar e carregar as coisas, mas posso dizer que, mesmo sendo extremamente cansativo, vale a pena.

Em toda a minha vida, só me mudei 3 vezes: da casa que passei minha infância para a casa que passei minha adolescência, então mudei para Porto Alegre e, depois de formado, troquei de apartamento. Mesmo assim, não sou o tipo de pessoa que cria um vínculo especial com o lugar que mora, com exceção da casa dos meus pais que, mesmo morando longe há quase 6 anos, ainda considero a minha casa.

Apesar de não me mudar com frequencia, gosto muito da ideia. A pessoa a quem ajudei na mudança leva isso como filosofia de vida. Quando a vida entra em outra fase, ela muda. Dessa maneira, cada fase da sua vida será marcada não só por atitudes diferentes, mas lugares e pessoas também. O que passou você deixa pra trás, trazendo para o novo ciclo o que foi muito marcante e te ajudou a ser o que você está sendo. Digo está sendo porque todos mudamos o tempo todo. Nunca seremos exatamente os mesmos durante toda a vida. Mudamos. Isso não quer dizer que não carregamos o que nos torna únicos, a nossa essência sempre será a mesma, mas as formas que ela se manifesta é que mudam, com mais frequência do que a gente imagina.

O fato é que me empolguei com a mudança dela e acho que acabei mudando um pouco junto. Aproveitando a nova fase dela para viver uma nova fase minha, carregado com o que guardei de melhor das outras fases da minha vida, com o corpo ainda cansado das caixas, mas já me preparando para a próxima mudança.

Anúncios

1 comentário

Arquivado em Crônicas

Uma resposta para “Chegadas e Partidas

  1. “a nossa essência sempre será a mesma, mas as formas que ela se manifesta é que mudam”. Bah velho, pensamento! Aí tu disse algo que eu já pensava, por isso me identifiquei. As vezes o que muda não é bem a pessoa, o que essa pessoa pensa e o que ela sente e sim a forma como ela age e expressa tudo isso. Muitas pessoas têm receio, medo e alguma dificuldade de colocar pra fora pensamentos, sentimentos ou simplesmente não sabem bem como expressar aquilo que estão pensando ou sentindo. Pode ser que um dia essa pessoa comece a aprender a se expressar e se fazer entender de uma forma mais clara, comece naturalmente a agir diferente e muitas pessoas podem ver essa mudança na pessoa como uma mudança da pessoa, como se não fosse mais a mesma, e na verdade não é(mesmo ainda sendo). Ela continua sendo a mesma no interior, mas diferente na maneira de agir e de se expressar, diferente no jeito como coloca o que tem dentro dela pra fora.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s